domingo, 18 de maio de 2014



O sol do fim de tarde

Ao despedir-se, o sol
se presta e empresta
às cores, novos tons.

Ele inventa e venta
no horizonte, o vento,
experenciando novos sons.

Ao esvaecer-se, o arrebol
se recolhe e colhe
da música, novos dons.

Ele apronta e pronta
a sinfonia, o cântico
atinge os corações bons.

.


4 comentários:

Nora Luce Ribeiro disse...

Anorkinda gostaria de vir mais vezes
ler e me deleitar com o que escreve!
Gosto e encanto-me com seus escritos.
Sou sua fã, sempre!
Beijo imenso...

Nora Luce da Teimosos e face...rs

Anorkinda disse...

Ow, minha linda, obrigada!
O encanto é recíproco, viu?! Bjinssssssssss

Lena Ferreira disse...

Delícia de poema. Iluminado, diria, como tu! Um beijo, Kindalinda!

Anorkinda Neide disse...

ooow Bjões, amore mio!!