terça-feira, 10 de agosto de 2010


Dos arrepios

Quando lês, leitor
a poesia minha que te assanha
em arrepios e luas

Saiba que, também
outros leitores-poetas
divertem-se às ruas

Quando o romance
na poesia minha te abocanha
em rubores e luas

Saiba, caro leitor
a poetisa em secreta
festa, sacia-se, nua

Quando a emoção
da poesia minha te apanha
em poros e luas

Saiba que, além
dos mundos do poeta
há vida e é crua

...

Um comentário:

helen ps disse...

Tudo muito lindo e reluzente por aqui, Kinda.

bjins

PAZ e LUZ