segunda-feira, 30 de agosto de 2010


Seu Gerúndio

Venho defender este nobre brasileiro:
Seu Gerúndio, representante vivo da gramática.
Ofereceu-se, este pacato senhor, a prestar ajuda
ao povo novo, privado de uma boa aula de Língua Portuguesa,
desconhecedor dos Verbos e seus tempos.

Seu Gerúndio,em franca ingenuidade,
ofereceu uma mãozinha... Mas qual!
A gentalha abusada tomou-lhe logo o braço todo!

E por isso, hoje, os eruditos o desprezam.
Pobre Gerúndio generosidade...
Declarado como reles, vil, alvo de escárnio.

Cuidado, leitor:
Pois você pode estar sendo preconceituoso.
Você pode estar cometendo uma maldade.

Eu não menosprezaria um amigo
disposto a socorrer-me
no verbo em aflição!

...

2 comentários:

Rodrigo Passos disse...

lindo poema, me prendi em seus versos!!!

ANORKINDA NEIDE disse...

Obrigada, fico lisonjeada!

Visitei teu blog!Parabens pela verve!

Abraços!