terça-feira, 14 de outubro de 2008

Misturo-me às flores

Em dias assim, sensíveis
Como um toque suave
De brisas invisíveis...
Sinto-me afagar

Sintonizo assim, sem dores
Como um murmúrio suave...
Misturo-me às flores
Sinto o germinar

Fluem assim, amores
Como brotos suaves
Pétalas inefáveis...
Sinto-me celebrar!

.............

Um comentário:

Nevenka disse...

Agradeço pelos poemas, pétalas da sua alma se desabrochando para a vida. Beijos. Nevê.


"Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo."

Desconheço a autoria