quinta-feira, 20 de novembro de 2008

MEU NOME

gravado no papel meu nome é Neide
entranhado na minha história é Anorkinda
pedaço do papel que represento com deleite
esculpido na minha memória que não finda

reavivado nome xamânico dos meus dias
superficie indígena onde me revelo
espirito renomeado nas noites frias
pedaço do meu ser que é mais belo

sem pestanejar dedico minha filiação
na terra do branco vindo do sul
uma alma antiga cheia de vibração

é com um grande festejar que abdico
do nome Neide personalidade útil
mas Anorkinda revive e a ela me dedico

...................

Um comentário:

Audiverĭmus disse...

Amo vocês duas.
beijoca