sexta-feira, 7 de novembro de 2008


RELÍQUIAS DO ASTRAL

daqui de onde vejo meu destino
emaranhada nas minhas próprias
desatenções e desatinos

em cada viagem astral
embriagada em amor-próprio
visões em nada surreais

pressinto o amor mais puro
embrulhado nos seus próprios
diapasões e tons duros

relíquias apanho no final
embaralhadas e impróprias
palavras e emoções especiais





.................

2 comentários:

Nevenka disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nevenka disse...

Kindinha

A maior relíquia é ser banhado pelo mesmo sol que tingiu de vermelho as peles dos nossos ancestrais...

Siga por essa trilha ouvindo o canto do vento que te chama e faz dueto com a sua alma embalando o sonho dos deuses adormecidos.

Nevenka