quinta-feira, 9 de julho de 2009


LIBERDADE DA ALMA

Respirando velhos ventos
Eternos da vida sobrevivida
Ela subjuga os lamentos
Sinceros sem mácula sofrida

Transformando em perdão
Emoções há muito sentidas
Ela abstem-se da solidão
Pueris permissões remidas

..........

Um comentário:

Feminilidades disse...

Este é forte... como a Lenda... tremi e senti... a força deste perdão. Tão belo...