sábado, 30 de maio de 2009


Faces espelhadas


São meus sentidos que me enganam
Parece que percebo alguém que sou eu

Mas meu reflexo espelhado diz
que a verdade transparece pelos poros

Em minha face não me vejo
pois o que levo dentro não transmito

De mim mesma me omito
meus sentidos me enganam
minha visão é embaçada, miopia sem fim

Meu tato nem chega perto de sentir
aquilo que verdadeiramente eu sou
pois não estou terminada

Sou obra inacabada de mim mesma
e nem mil espelhos reproduziriam
a luz fragmentada que rebate em mim

e engana cada um dos meus sentidos

...........

Um comentário:

Márcia Poesia de Sá disse...

Nossa Anorkinda eu simplesmente adorei isso...um mergulho a profundidade maxima do poder enxegar-se....lindooo